Atividades de Conservação

De olho no patrimônio natural e da rica biodiversidade da região, o Projeto “De Olho na Água” identificou as principais áreas de importância ecológica.

Essas áreas são essenciais para a conservação ambiental, como os terraços marinhos relacionados com os núcleos habitacionais, agricultura de subsistência e coqueirais, as áreas que devem ser destinadas à preservação como as encostas das falésias, o manguezal, as dunas, o delta de maré, as lagoas e lagunas, além das áreas que requerem urgência na recuperação pela importância de suas funções geo-ambientais e ecológicas, que potencializam melhoras significativas na qualidade da água.

 

A partir desses pressupostos, são desenvolvidas atividades de conservação com práticas de baixo impacto ambiental como o cultivo sustentável de algas marinhas, a recuperação de áreas degradadas do manguezal com o viveiro de mudas, a construção de canteiros bio-sépticos e cisternas para captação de águas pluviais, a criação de abelhas nativas para intensificar a polinização, além de intensa mobilização por meio da educação ambiental, capacitações, eventos, trilhas ecológicas e publicações voltadas para a conservação da natureza.